O novo currículo da Faculdade de Medicina

Na USP, apostamos em uma profunda reestruturação curricular, cujo objetivo é formar lideranças para o futuro da área da saúde

As competências de um médico devem ir além do conhecimento das doenças elencadas em catálogos e de sua rotina em consultório ou atividades hospitalares. O profissional deve ser preparado para comunicar-se de forma efetiva com pacientes, comunidade e equipes de saúde, reconhecendo seu papel social dentro do sistema de saúde.

A Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) construiu, em seus 102 anos, uma liderança sólida no ensino médico, na pesquisa e na proposição e implementação de políticas públicas de saúde que beneficiaram sobremaneira a população.

A origem dessa liderança vem de seu próprio processo de criação, quando optou por inovar, implantando um modelo de currículo até então inexistente no país.

A grandiosidade da FMUSP nos motiva a trabalhar para aprimorar ainda mais a qualificação dos nossos alunos, bem como manter a faculdade e o Hospital das Clínicas na vanguarda da formação de recursos humanos na área da saúde.

Para que esses objetivos se concretizem, apostamos em uma profunda reestruturação curricular que tem por objetivo formar lideranças para o futuro da área da saúde, agregar valor ao perfil técnico do médico, além de rever e reforçar o papel do Hospital das Clínicas como hospital-escola e polo de formação de gestores e especialistas para todas as áreas da medicina.

O novo currículo da FMUSP, que entrou em vigor em 2015, vai mudar progressivamente os seis anos da graduação para incorporar essa visão mais moderna, inspirada em cursos de ponta no exterior, garantindo as particularidades nacionais e fortalecendo o papel do futuro médico como agente transformador da sociedade e do sistema de saúde.

Um novo currículo não é uma mudança que se faz de forma simples. Requer tempo, dedicação e grande esforço institucional.

Criamos unidades curriculares integradas, organizadas em blocos de sistemas e órgãos do corpo humano, e atividades curriculares que visam aprimorar a responsabilidade social e enfatizar os direitos humanos, que serão estimuladas e pontuadas como créditos adicionais.

Reduzimos a carga horária expositiva, contextualizando o conteúdo com discussão de casos desde o princípio do curso e, para a avaliação das disciplinas, implantamos provas internacionais, buscando um comparativo com outras instituições de ponta.

O novo currículo também terá blocos de integração de competências, aliando aspectos técnicos a habilidades de comunicação, empatia, ética e postura desenvolvidos de forma prática.

Haverá um eixo longitudinal sobre atenção primária em saúde, reforçando o conceito de integração com a rede e os sistemas de saúde vigentes no país, e internato supervisionado em diferentes cenários do sistema de saúde incluindo nossos hospitais-escola, fundamentais para a qualidade da formação.

Para a FMUSP, o Hospital das Clinicas é parte inerente de sua existência, tendo sido uma contrapartida do governo do Estado por ocasião da estruturação e edificação da Faculdade de Medicina a partir de doação da Fundação Rockefeller.

Nosso complexo hospitalar acaba de completar 71 anos, consolidado como o maior da América Latina. Orgulho desta faculdade, do povo paulista e de todo o Brasil.

JOSÉ OTÁVIO COSTA AULER JÚNIOR, 66, anestesiologista e intensivista, é diretor da Faculdade de Medicina da USP.